terça-feira, 18 de abril de 2017

Danilo “Japa” Nuha e suas mil utilidades

Até galgar o sucesso, jornalista passou por oito anos entre altos e baixos 

Elaine Silva

Danilo Nuha e suas histórias encantaram alunos
 de comunicação da Universidade Uniderp
Fotos: Thiago Lung
Danilo Nuha foi de operário em fábricas no Japão, limpador de fossa e até traficante. Lutou, cresceu na vida e se tornou assessor do cantor Milton Nascimento. Na noite de ontem (17), retornou a Universidade Uniderp, onde se formou em Jornalismo, para compartilhar suas experiências de vida e divulgar o lançamento de seu livro “Nada Consta” com os acadêmicos de jornalismo e publicidade e propaganda.

Danilo “Japa” Nuha, passou por poucas e boa em sua vida. Foi abandonado em frente a um bar, onde os donos o adotaram, com 16 anos foi para o Japão e trabalhou como operário e limpador de fossas. Durante esse tempo encontrou um livro do Jorge Amado e a partir daí decidiu que queria ser jornalista.

Para alcançar seu objetivo, fez supletivo e chegou à universidade. Quando entrou na sala de aula (ainda com as marcas de graxa das fábricas do Japão) decidiu que o trabalho de operário não servia mais para ele. “Quando cheguei na sala de aula, vi aquela meninas cheirosas, todas arrumadas e eu quando trabalhava lá todo cheio de graxa, falei é aqui que eu quero ficar e para lá não volto mais”, afirma Japa.

Durante seus quatro anos como acadêmico ele batalhou muito, aprendeu inglês sozinho e mesmo tendo ficado cerca de seis meses sem estudar (por falta de condições financeiras) ele não deixou de trabalhar e sempre contou com o apoio de professores.

Alunos compareceram em peso para o bate papo
Recém-formado conseguiu emprego como correspondente na filial da Rede Globo no Japão, porém após um ano, perdeu o emprego e a licença de jornalismo por ter tirado uma foto de um pé de maconha, em sua casa, com o equipamento do jornal. Após ser quase preso voltou para as fábricas, e logo após foi dar aulas de história.

Com todas essas dificuldades ele nunca deixou para trás os livros, foi isso que o salvou de várias enrascadas até mesmo quando voltou para o Brasil e foi morar numa pousada com vários travestis que o assediavam insistentemente, ou quando foi morar num morro do Rio de Janeiro.

Sua história com Milton Nascimento começou quando, para realizar uma entrevista com o cantor, Nuha fez algumas peripécias e convenceu alguns amigos a pagarem cerca de $800 dólares para alugar um quarto próximo ao que o artista estava hospedado. Esse relato e muitos outros, você poderá conhecer melhor no livro “Nada Consta”, lançado na última quinta-feira (13) elogiado por vários jornais, cantores e atores.
Nuha e professor Clayton Sales, do curso de jornalismo

Danilo mostra que driblou as dificuldades e superou tudo. Mesmo a vida lhe impondo alguns obstáculos, após três anos de realizada a entrevista com Milton, ele conseguiu ser o assessor do cantor e construiu uma carreira de sucesso.

Nuha conseguiu o que queria. Seja servindo bebidas para convidados famosos em festas na casa de Milton Nascimento (sem receber nada só para estar entre as estrelas) até auxiliar em gravações de cenas quentes para um programa adulto no canal Multishow ele chegou lá. Quer saber mais? É só comprar o livro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário