sexta-feira, 27 de outubro de 2017

12º Furacom e 11º Jornalide terminam com chave de ouro em noite inspirada por Steve Jobs

Terminou nesta quinta-feira (26) o Festival de Comunicação: 12º Furacom e 11º Jornalide da Uniderp, que reuniu profissionais de renome das mais diversas áreas para debater a realidade regional da profissão

 Fabíola Camilo, Maurício Ribeiro e Nélida Beatriz

Coronel Álvaro Duarte fala sobre a estrutura da comunicação militar
Foto: Maurício Ribeiro
A noite desta quinta-feira foi de festa. Com direito a música boa, comida e convidados pra lá de especiais. Foi assim a terceira e última noite do Festival de Comunicação da Uniderp. O encerramento do 12º Furacom e 11ºJornalide contou com a presença de cinco convidados ilustres. O coronel de infantaria e chefe do departamento de comunicação social do Comando Militar do Oeste em Campo Grande, Álvaro Duarte, que falou do fascinante universo da comunicação dentro da estrutura militar. Na sequência, formou-se uma espécie de “mesa redonda” onde os outros quatro convidados restantes dividiram com os presentes diversas experiências sobre o que deu e o que não deu certo ao longo de suas trajetórias até aqui.

Fernanda Freitas declarou amor à profissão de Jornalista
Foto: Maurício Ribeiro
A primeira a falar foi Fernanda Freitas. A jornalista formada pela Uniderp falou do amor pela profissão, da emoção de estar de volta a casa e dos desafios e delícias que tem sido esses quase três anos de muito trabalho à frente de uma empresa de assessoria de comunicação fundada por ela e a companheira de curso Ana Camposano. “Fiquei muito grata pelo convite. Essa troca de informação, de atmosfera, passar um pouco do que eu sei e ver um pouco do que você está vivendo é sensacional”.

Mariana Passos, alerta sobre a importância das novas tecnologias
Foto: Maurício Ribeiro
Na sequência, foi à vez de Mariana Passos, publicitária também graduada pela Uniderp falar um pouco do que vive como executiva de contas. Ainda em tempo, ela alertou sobre a importância de estarmos atentos à evolução tanto do mercado quanto do mundo como um todo e das adaptações às mudanças que esse processo traz principalmente para o modo como nos relacionamos e nos comunicamos. “Essa questão também de novas tecnologias, a vinda das redes sociais, os celulares, os smartphones, tudo isso veio para agregar a essas mudanças. Então hoje, a gente pensa de uma maneira, amanhã aquela maneira que a gente pensou já não é mais, por isso que eu falo que a gente tem que estar sempre estudando, se reciclando, se voltar, sempre que possível para uma especialização porque é nesses momentos que a gente consegue adquirir mais conhecimento e não estagnar, né? Porque quem fica estagnado no mercado morrendo, tanto como cliente como profissionalmente também” (sic).

Dasayev Teixeira, empreendedor desde os 14 anos
Foto: Maurício Ribeiro
O quarto palestrante da noite foi Dasayev Teixeira, formado em Tecnologia de Produção Multimídia pela Uniderp e com um talento impressionante para empreender, o jovem prodígio que aos 14 anos de idade já construía sites e aos 18 fundava sua primeira empresa, contou suas experiências acumuladas nesses nove anos de trabalho nas mais diferentes áreas da tecnologia a serviço da comunicação e revelou parte do segredo de tamanho sucesso. “Bom, para galera que está pensando em sair da faculdade e abrir o seu negócio, cara, persistência, né? Como eu falei na palestra aqui, a minha primeira empresa não deu certo, então, se eu tivesse desistido ali, provavelmente hoje eu estaria empregado em alguma outra empresa, mas não teria as minhas empresas. Como eu falei, são mais de 500 clientes que a gente já atendeu entre várias empresas de padrão nacional e internacional, então a mensagem que eu deixo para o pessoal é exatamente essa, corre atrás dos sonhos, persistência e não desista”, disse o empresário de 27 anos.

Por último e não menos importante, mais um “prata da casa”. O jornalista, radialista, humorista, cerimonialista e ladarense, Wagner Jean, explicou como funciona o casamento do humor com a informação na programação da rádio em que trabalha. “É para buscar um diferencial, né? Porque qualquer veículo de comunicação, tanto no rádio quanto na TV que você sintonizar atualmente está indo para os mesmos temas, a mesma forma de dar a notícia. É política, é economia, é crise, as fatalidades que acontecem no dia a dia, então a gente precisava de um diferencial e como o personagem tem muito mais liberdade na hora de falar, então o Wagner (falando de si na terceira pessoa) dá a notícia e o personagem brinca em cima dela”.

Steve Jobs, imortalizado por sua brilhante trajetória e por ser um ícone da mudança de uma era, por diversas vezes fora lembrado pelos palestrantes em célebres frases que motivam e confrontam e impulsionam. E foi dessa forma que o festival se despediu deixando saudades, numa noite de reencontros, aprendizado e sabor de quero mais.





Nenhum comentário:

Postar um comentário