quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Produtores rurais mostram que é possível preservar recursos hídricos e obter retorno


Brasil é um dos principais produtores de alimentos do Mundo. Um dos grandes desafios do agronegócio é produzir mais, e de forma sustentável, unir produtividade, lucro e preservação ambiental.


Valdinéia Albuquerque Sene



Foto: Magali Aquino Barbosa
Mato Grosso do Sul é privilegiado com recursos hídricos. Cerca de 59% do maior reservatório de água doce do mundo está localizado em seu território. A fartura desde recurso natural, somado a um clima favorável, atrai investidores dos setores do agronegócio e da agricultura de todas as partes.

Apesar de toda essa água, o desperdício e o desmatamento de matas ciliares têm sido um grande problema. Parte dos produtores acabam desmatando essas áreas de preservação sem se preocupar com o futuro das nascentes que, muitas vezes, sofrem erosões e assoreamentos. Pensando nisso, produtores de MS têm se adequado e mostrado que é possível produzir de forma sustentável.

Carlos Eduardo Barbosa Colucci é proprietário da “Fazenda Laranjeiras” localizada entre os municípios de Guia Lopes da Laguna e Maracaju. Ele divide sua propriedade em agricultura e pecuária. Carlos tem consciência da importância de preservar os recursos hídricos e por isso protege as nascentes existentes em sua propriedade, mantendo as matas ciliares intocáveis. Segundo o agrônomo Lucas Bach, “a preservação dos recursos hídricos é de suma importância para a preservação da fauna e da flora, para manter um equilíbrio no ecossistema”.

Magali Aquino Barbosa é proprietária de uma das fazendas às margens do Córrego dos Tocos, que é um dos afluentes do Guariroba. Ela, assim como outros proprietários da região, preservava as matas ciliares, mas não tinha consciência de que era necessário fazer mais pelas nascentes.

Com uma criação de gado extensiva, os fazendeiros precisavam dos recursos hídricos, que cada vez mais estavam diminuindo. Foi então que surgiu um convite da associação, juntamente com projeto o “Manancial Vivo”. O projeto serviu como um despertador para os proprietários que estavam estagnados.

Magali começou um trabalho de recuperação da área degradada. Foram plantadas em sua propriedade 2 mil mudas na extensão do córrego, bem como criadas curvas de níveis na propriedade e cercadas as áreas úmidas.

Foto: Magali Aquino Barbosa
A água do córrego é utilizada na propriedade de forma direta. Os antigos donos utilizavam um pequeno desvio, que é mantido até hoje. A água passa por ele e é conduzida até uma roda de água, um objeto circular onde a água passa. Por meio dele é possível transportar a água do rio para partes mais altas da propriedade. Essa água é levada para uma caixa onde é distribuída na propriedade, onde será usada para o consumo doméstico, para abastecer os bebedouros dos animais e irrigar a horta.

Após 3 anos de reflorestamento e proteção das nascestes, tudo mudou, o fluxo de água na propriedade aumentou significativamente a qualidade da água melhorou muito. Animais que antes eram difíceis de se ver na propriedade, retornaram, como os pássaros, antas e capivaras. “O retorno financeiro é importante, sem dinheiro não faríamos nada, ver a qualidade da água melhorando e ver a volta da fauna e da flora mostra que vale a pena preservar” finaliza Magali Aquino.

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Evolução no processo eleitoral das cédulas à urna eletrônica


E qual será o futuro do processo eleitoral

Mariana Pitilin

Votação na época das cédulas
Reprodução/ clicRBS
A implantação da urna eletrônica foi feita no ano de 1996, que computou os votos por municípios, mas apenas em 2000 foram feitas as votações eletrônicas em todo o país. Antes disso as votações eram feitas por cédulas, onde os eleitores escreviam seus votos e depositavam numa caixa de madeira que no momento da votação era fechada e após o encerramento dos votos, era transportada ao Rio de Janeiro para contagem dos votos, mas esse processo levava tempos até ser concluído, levando até cerca de meses.

A funcionária pública do estado, Soraya, de 53 anos comentou que achava esse procedimento mais seguro. “Minha desconfiança era menor e acho que havia mais gente honesta envolvida, gente comprometida”.

Mas com o tempo, algumas pessoas passaram a acreditar que esse processo poderia ser adulterado, “Era um longo período e não há como confiar em algo que seria tão fácil de manipular”, diz o analista de operações, Luiz Henrique, de 34 anos.

Como muitas pessoas não tinham acesso a informações, os candidatos faziam comícios na casa da população para passar suas propostas ao maior número de eleitores.  Soraya lembra que as pessoas se reuniam com frequência nas casas umas das outras.

Mas nem tudo era fácil nesta época nos anos de 1994 eram os coronéis que comandavam a cidade e seus capangas controlavam o voto dos trabalhadores, pois alguns trocavam votos por favores dos patrões, sendo assim o voto não era livre e secreto como deveria ser. E foi por conta disso, que foi implantada a urna eletrônica, onde os votos passariam a ser secretos e sem possibilidades de adulteração.

Desde que a urna entrou em vigor, passou por vários processos e atualizações para passar mais confiança ao eleitor. Alguns dos processos de sigilo, também é a emissão de dois boletins de urna, um no início, que é chamado de “zerésima” que informa que a urna está sem nenhum voto até o momento de sua abertura, e o último conhecido como “boletim de urna” que informa a quantidade de votos de acordo com a quantidade de eleitor por sessão.

Tudo isso para torna mais clara e mostrar a população como funciona o processo para eleger seus candidatos. Mas mesmo com toda essa tecnologia, ainda resta dúvidas sobre a confiabilidade da população em relação a urna eletrônica. “Infelizmente acredito que a urna ainda possa ser burlada, o Brasil e seu histórico corrupto não permite que eu tenha confiança na tecnologia”, acrescenta Luiz.

Em países como a Estônia, o voto é feito online, por meio de uma única documentação que a população possui, fazendo assim com que os eleitores tenham um maior conforto e confiança em relação ao seu voto já que a contagem é feita online e imediatamente contabilizada, “Ideal seria votar em casa via internet e que os votos pudessem ser contabilizados ao vivo, em um site oficial do governo e ultra seguro”, comenta Luiz.

A votação via internet no Brasil ainda não entrou em discussão, mas será que seria essa uma alternativa para driblar a corrupção? Conta para a gente nos comentários sua opinião sobre esse assunto.

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Loja realiza evento voltado para fãs de Harry Potter


 Durante o evento terá quiz para testar os conhecimentos dos fãs

Karine Zandomenighi com assessoria
            
A loja Imaginarium do shopping Norte Sul Plaza realiza neste sábado (27) evento para os fãs de Harry Potter. O evento promoverá a mais nova coleção sobre o bruxinho de Hogwarts e além dos novos produtos sobre a saga a loja realizará o encontro de cosplayers, coquetel e a plataforma 9¾ em frente da loja.

Os Potterhead’s poderão usar o chapéu seletor, que estará disponível para fotos. Durante o evento acontecerá um quiz para testar os conhecimentos dos fãs, e o prêmio é a luminária Lumus, que acende quando o feitiço é dito.

Este encontro acontecerá as 17h na loja Imaginarium, no shopping Norte Sul com muito algodão doce e pipoca.

Para maia informações acessar o site www.nortesulplaza.com.br , ou pelo telefone (67) 3044-3900.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Saúde Mental: de 40% da população brasileira sofre com insônia


O problema afeta na maioria dos casos jovens em idade acadêmica

Renan Santos e Enoque Trefzger

Sociólogo Paulo Cabral fala sobre o motivos 
para ter uma saúde mental abalada
 Foto: Tamares Arruda
Na correria do dia a dia, com muitos afazeres e pouco tempo, universitários se dividem entre várias ocupações como estudo, trabalho, família, amigos. A aflição acarretada por todos esses acontecimentos pode levantar questionamentos quanto a qualidade da saúde mental dos jovens.

Para o sociólogo Paulo Cabral, a juventude é uma fase complicada, pois o ser humano está em desenvolvimento, ou seja, uma fase de construção da identidade através da vivência do indivíduo no presente momento em que se encontra. Nessa construção é necessário um equilíbrio daquilo já vivido, da herança da infância e pré-adolescência para se capacitar para a vida adulta.

“Pressão familiar, cobrança da sociedade, falta de apoio emocional são alguns fatores que contribuem para se ter uma saúde mental abalada, quando os interesses do jovem, dos pais, da sociedade não convergem acontece um choque gerando assim um conflito de ideias sobre expectativas de futuro. Um fator de conflito pessoal dos jovens é a dependência financeira dos responsáveis que estabelece uma dependência emocional e quando há uma quebra causa um trauma por ser um momento de incertezas” explicou o sociólogo.

Nos últimos anos com advento da internet e com um novo estilo de vida, alguns problemas de saúde como a insônia tem sido a realidade de grande parte da população, principalmente dos jovens. De acordo com a Associação Brasileira do sono cerca de 40% da população brasileira sofre com o transtorno. Dormir pouco ou passar a noite totalmente em claro em virtude de trabalho, estudo, redes sociais é cada vez mais comum na sociedade contemporânea.

A acadêmica do 8º semestre de jornalismo, Camila Farias afirma que logo ao depois de ingressar na faculdade passou a sofrer de insônia devido a pressão da graduação, já que se difere do período do ensino médio. “No início da graduação era muita festa, saíamos bastante com os colegas de classe, porém na semana de prova começou a apertar como era diferente do ensino médio a pressão era bem maior, pois não havia cobrança de professor, então começou quando eu trabalhava o dia inteiro e estudava a noite, não dormia para estudar, somente três quatro horas até que um dia não dormia mais”.

Camila ressalta que as crises de insônia começaram a partir da faculdade, no ensino médio simplesmente trocava o dia pela noite, e na graduação ficou períodos sem dormir absolutamente nada causando transtornos na rua rotina e tendo que recorrer a medicamentos sem orientação médica, porém sem solução para o seu problema.

A estudante acredita que a doença atrapalha no seu desempenho acadêmico, pois o descanso é fundamental para repor as energias e ter um bom desempenho no trabalho. No entanto, para a mãe da acadêmica ela não sofre de insônia por passar tempo nas redes sociais. “Ela disse que eu passo muito tempo no celular e por isso não consigo dormir”.

Hoje, após algum tempo da crise de insônia, a acadêmica afirma que trabalha meio período e consegue tempo para repor suas energias, porém com a chegada do período de conclusão de curso passou a sofrer novamente do mal devido à entrega do projeto experimental que visa o passaporte rumo a diploma, porém não afetou tanto como da primeira vez. Camila finaliza dando dicas para alunos que sofrem de insônia.

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Samba, Rock e MPB marcam semana musical do Sesc Morada


As apresentações terão início sempre as 20h e a entrada é gratuita

Karine Zandomenighi com assessoria

O show de sábado (30) fica a cargo de Gideão Dias
Reprodução/ Sesc
A partir da próxima quarta-feira (24) o Sesc Morada dos Baís realizará apresentações de Samba, Rock e MPB, que serão abertas ao público. As apresentações terão início sempre as 20h e a entrada é gratuita.

Na quarta-feira (24), o show será do sambista Chokito, que iniciou na escola de música “XV de novembro” no Rio de Janeiro, Chokito segue carreira com sua banda há vinte anos.

Quinta-feira (25), é dia de rock com a banda Moscas de Bar, com repertório voltado para clássicos do rock nacional como Raul Seixas.

Já na sexta-feira (26), o show é da cantora Amanda, com tributo à Elis Regina. O show “Um Presente para Elis” é um resgate da música popular brasileira trazendo nostalgia e história para as novas gerações.

Para fechar a semana no sábado (30), o show será com o cantor Gideão Dias com o “ Roda de Samba”. Gideão já dividiu palco com nomes como Luiz Ayrão, Almirzinho Serra, Diogo Nogueira, Martinho da Vila, Almir Guineto e Dudu Nobre.  Além de realizar o show com músicas autorais, Gideão canta canções de clássicos do samba como Cartola e Almir Guineto.

O Sesc Morada dos Baís fica na Avenida Noroeste, 5140. Informações pelo telefone (67) 3311-4300. O espaço bistrô é aberto às 18h30 e as apresentações musicais começam às 20h. Acompanhe a programação no site sesc.ms.

Número de suicídios é maior entre os jovens


A maior parte dos suicídios ocorre com jovens de 15 a 29 anos, segundo OMS

Renan Santos

Por traz do comportamento suicida há uma combinação de fatores
Reprodução/Internet
A conscientização sobre a prevenção do suicídio é muito forte no chamado “Setembro Amarelo”, mês em que o assunto é tratado com mais ênfase, esclarecendo, conscientizando e estimulando a prevenção, para reverter os danos da doença do século 21.

E como explica o psiquiatra Dr. Kleber Meneghel Vargas ocorreu um aumento de suicídios entre jovens, o que é muito preocupante. “Houve uma aumento em torno de 10% nos últimos anos. Associado a isso Mato Grosso do Sul tem índice de suicídio para cada 100 mil habitantes, que é maior que a média nacional” destaca.

Os casos de suicídio aumentaram mundialmente, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, a população mais afetada tem de 15 a 29 anos, uma estimativa que chegou a 5,6 suicidas a cada 100 mil habitantes, em 2014.

“Nós, no Mato Grosso do Sul, ocupamos o segundo lugar em números de suicídios. Principalmente pela questão dos indígenas da cidade de Dourados, onde o índice entre esses jovens é bastante alto, o que acaba aumentando a média de Mato Grosso do Sul, em relação aos demais estados do Brasil”, aponta o psiquiatra.

Para Vargas a causa do suicídio é, principalmente, o desconhecimento sobre os sintomas, que na maioria das vezes são difíceis de serem reconhecidos. “Sobre os sinais de alerta é importante lembrar que normalmente há certa ambivalência entre querer morrer ou não, e mesmo naqueles casos onde houve o suicídio, dificilmente você encontra alguns sinais como isolamento social, tristeza, ou o uso da mídia social para ‘poder desabafar”, menciona.

Outro fator importante é o apoio dos familiares e amigos. “Alguns comentários como dizer para os amigos mais próximos, ou familiares, que não aguentam mais viver, que pensam em morrer; esses tipos de mensagens precisam ser levados muito a sério”, complementa Vargas.

O psiquiatra ressalta ainda a importância da mensagem contra o suicídio ser comunicada. “A imprensa tem um papel muito importante com relação ao suicídio, porque do contrário que se pensa, falar de forma adequada, dar informações e dados, amenizam esses casos”.

Ilza Arruda, atendente social de 37 anos, percebeu a necessidade de falar sobre o assunto. Ele afirma que a vergonha, o desconhecimento e o desinteresse das vítimas, de seus familiares e amigos em tratar o problema são catalisadores que precisam ser combatidos.

“Muitas vezes, familiares e amigos não reconhecem os sinais de que alguém querido vai tirar a própria vida. Aliás a própria vítima não entende que precisa de ajuda e acaba se afundando cada vez mais em uma solidão desesperadora e por isso é preciso falar sobre suicídio e discutir a depressão abertamente” aponta Ilza.

A atendente social ressalta que a atitude de amigos e familiares pode afetar positivamente ou negativamente no tratamento com uma pessoa que convive com a depressão. “Minha mãe me pressionava para ir à escola. Dizia que eu tinha que superar e que aquilo era uma fase. Amigos mais próximos entendiam minha tristeza como uma frescura e que eu tinha que parar de ficar me fazendo de vítima com relação a isso, e foi aonde eu tive meu primeiro pico de depressão” lembra Ilza.

“Eu não entendia o que era uma depressão e nem imaginava que aquilo poderia me afetar tanto, mas cheguei a um ponto onde eu não tinha mais ânimo para nada, não queria frequentar a escola, muito menos sair de casa, só queria ficar isolada. Sentia-me uma pessoa completamente inútil, e minha família não sabia lidar com essa situação” completa.

Como uma sobrevivente, que conseguiu se reerguer com apoio de amigos da igreja, ressalta a importância de buscar ajuda. “A campanha setembro amarelo é muito importante para mim e é preciso que outras pessoas também tomem conhecimento de que elas não estão sozinhas, que existem linhas de assistência como o Centro de Valorização da Vida (CVV), com atendentes que estão ali para te ajudar, te instruir e te conectar com profissionais especializados”, disse.

A partir disso eu comecei a trabalhar a minha cabeça, e procurei saber mais informações sobre o que era a depressão, causas, sintomas e tratamentos. Com todas essas informações foi aonde dei início ao tratamento com um psiquiatra. Atualmente eu me sinto curada, bem comigo mesma”, finaliza.

Psicóloga, Bruna Dequeche dá dicas que ajudam a entender os sintomas e comportamentos que uma pessoa com depressão, que se encaminha para uma tentativa de suicídio, pode apresentar. “Por traz do comportamento suicida há uma combinação de fatores, biológicos, emocionais, socioculturais, religiosos, ou seja, é uma junção de elementos que podem levar a pessoa a cometer a morte”.

“Nem todos conseguem ajudar uma pessoa que tem pensamentos suicidas, porque muitas das vezes não percebem que alguém próximo está se encaminhando para esse possível ato. Por isso a importância de estar sempre atento às mudanças da fala e do comportamento das pessoas que estão a sua volta, para poder conversar, auxiliar e buscar ajuda com um profissional da saúde mental”, acrescenta.

Finalizando, lembra ainda a importância de pedir ajuda. “Se você pensa, ou já pensou em cometer suicídio, é muito importante você conseguir se abrir com as pessoas que estão mais próximas, falar o que está acontecendo, o que já pensou ou pensa em fazer em relação a esses problemas, e claro que se é algo que está incomodando, que está fazendo sofrer no dia-a-dia, tem que buscar ajuda profissional, os psicólogos, psiquiatras estão ai para ajudar, orientando, trabalhando técnicas e formas para conseguir lidar com essa situação da melhor maneira possível”.

O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias. Informações e atendimentos são feitos pelo telefone 188.

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

18 mil km de trilhas vão ligar todo país


O intuito é estimular o esporte na natureza o que contribui para a preservação ambiental

Sabrina Trentin com Correio do Estado

No percurso haverão serviços de hospedagem, camping,
 guias e alimentação, além do comércio de equipamentos
para as caminhadas. Reprodução/Mochileiros.com
Foi criado nesta sexta-feira (19) o projeto Rede Nacional de Trilhas de longo curso e conectividade. O sistema é formado por quatro grandes corredores interligando paisagens naturais no país, onde as pessoas poderão caminhar tranquilamente.

A expectativa é que em 20 anos sejam construídas rotas ao longo de unidades de conservação e ecossistemas. No total serão 18 mil quilômetros.

Atualmente 10% desse trecho já estão concluídos. Entre as trilhas prontas estão o Caminho da Serra do Mar (RJ), a Transcarioca (RJ), a Transespinhaço (MG), a Rota Darwin (RJ-PE) e o Caminho das Araucárias (RS/SC), que integram o corredor litorâneo.

Outras são o Caminho de Cora Coralina (GO) e o Caminho da Floresta Nacional de Brasília, que fazem parte do Caminhos dos Goyases; a Trilha Chico Mendes (AC); e a Transmantiqueira (RJ, MG e SP).

Os outros circuitos são o litorâneo, do Oiapoque (AP) ao Chuí (RS); o Caminhos Coloniais, do Rio de Janeiro a Goiás Velho (GO); o Caminhos dos Goyases, entre Goiás Velho e a Chapada dos Veadeiros (GO); e o Caminhos do Peabiru, ligando o Parque Nacional do Iguaçu (PR) ao litoral paranaense.

O sistema funcionará como uma alternativa de esporte na natureza. Os moradores poderão explorar serviços de hospedagem, camping, guias e alimentação, além do comércio de equipamentos para as caminhadas.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

40 anos de história na produção de “esfiha”

Receita caseira já está há gerações na família

Renan Santos

O microempresário Diogens Santos, de 53 anos, está na indústria alimentícia a mais de 40 anos e segundo ele o sucesso de seu estabelecimento é uma receita caseira, passada de geração em geração.

“A produção de esfiha começou com meu pai há mais de 40 anos, eu sempre trabalhei com ele nessa criação e foi onde comecei a desenvolver interesse por esse salgado que agrada todo mundo não só pelo sabor, mais pela paixão que eu tenho em fazer” explica Diogens.

O “Só Esfiha” fica no centro da capital a 14 anos. Diogens ressalta que a lanchonete é da família e todos trabalham em conjunto. O microempresário destaca que o diferencial está na qualidade do salgado, por ser uma massa leve, recheada e bem molhadinha os clientes não abrem mão.

A lanchonete tem uma clientela fiel, “Por estar a muito tempo trabalhando no centro da cidade, os meus clientes são os donos mais antigos do comércio aqui da capital, e por conhecer o salgado eles indicam os funcionários e inclusive clientes para vir degustar da esfiha caseira”.

Além do preço ser acessível, dependendo da quantidade que o cliente for consumir o preço fica mais em conta, “assim o freguês retorna mais vezes” brinca Diogens. O espaço é simples, e muito confortável. A lanchonete fica localizada na Rua Dom Aquino, 1697, horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 18 h, e aos sábados até 12 h.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Projeto distribui livros em troca de sorrisos


Objetivo é a distribuição de livros, mas com um diferencial a cortesia de um sorriso.

Renan Santos

O objetivo do projeto é distribuir os livros
para população o desenvolvendo do hábito da leitura
Um projeto vem ganhando visibilidade em Campo Grande, o “Dê um Sorriso & Ganhe um Livro” é iniciativa do divulgador de arte e mediador de leitura, Fábio Rogério do Nascimento de 55 anos. A ideia surgiu em junho de 2017, quando ele recebeu uma doação de 400 livros de um amigo.

Com muitos livros em sua residência, numa madrugada de quinta-feira surgiu a ideia de fazer uma plaquinha para doação dos livros, com a seguinte frase, “dê um sorriso e ganhe um livro”. Foi aí que Fábio decidiu, na manhã seguinte, ir para a rua 14 de julho em um semáforo no centro da cidade, com os dizeres em seu pescoço e um carrinho de feira, que acabou virando o famoso carrinho da leitura, e o resultado foi surpreendente, desde então diversas pessoas se envolveram e apoiaram o projeto.

A campanha ganhou notoriedade quando começou a ter visibilidade na mídia, e também através da divulgação das pessoas, que apoiaram a iniciativa logo no início. Atualmente Fábio recebe doações de instituições públicas e privadas e da própria população, a princípio são livros diversificados, mas são separados por Fábio, atendendo cada faixa etária e determinado público.

O objetivo do projeto é distribuir os livros para população o desenvolvendo do hábito da leitura, porque atualmente com a tecnologia e o acesso fácil a informação, os livros que antigamente eram uma fonte de conhecimento ou passatempo para muitos, acabou ficando de lado.

Atualmente, Fábio realiza as doações em diversos pontos da cidade, como na maternidade Cândido Mariano. “A proposta é justamente incentivar a leitura de mãe para filho, para que quando crescerem as crianças continue sendo motivada pelos pais a ler, e que as crianças recebam desde o início todas as informações e emoções positivas, absorvendo tudo o que as mães passam”, relata Fábio.

Para ele fazer a diferença na vida das pessoas com um simples gesto é gratificante, ele diz “atualmente tudo é comercializado, ninguém dá nada de graça para alguém, sempre tem um interesse por trás, por minha parte não haverá interesse comercial em vender os livros arrecadados, muito pelo ao contrário, se a iniciativa foi tão boa e aceita pelas pessoas e autoridades, e eles entenderam que não há interesse algum, somente o despertar do interesse pela leitura”.

A principal mensagem de Fábio deseja passar é de que a leitura é algo libertador, ela esclarece a nossa mente, nos traz conhecimento, desperta o senso crítico, a evolução do pensamento, expansão do território cultural, dentre outros benefícios. E através dessa libertação todos começam a ter uma qualidade de vida melhor.

Fábio não pretende parar por aqui, ele quer alcançar o máximo de pessoas possível em vários lugares onde ver oportunidade de levar o projeto. A campanha tem como objetivo levar conscientização à população sobre variados assuntos. Junto com os livros Fábio coloca um panfleto da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz).

É possível fazer doações para a campanha “Dê um sorriso e ganhe um livro”, você pode ajudar doando os livros que de alguma lhe trouxeram boas experiências e conhecimento. Basta entrar em contato com ele no telefone (67) 99113-4585 ou pelo e-mail fabioroger63@hotmail.com.

Negócio de família faz sucesso com “chipinha”

O comerciante percebeu que o salgado de origem paraguaia agrada muito o paladar dos campo-grandenses

Renan Santos

Cansado de trabalhar no ramo da construção civil Sérgio Borba, de 50 anos, mudou de vida e a sete anos e hoje faz sucesso no centro da capital com uma lanchonete, onde o carro chefe é a “chipinha”. O salgado de origem paraguaia está cada vez mais ganhando espaço, e tomando o lugar do pão francês, se tornando ainda mais popular. Para o comerciante a chipa vai bem desde o café da manhã até o lanche da tarde.

Sérgio relata que a lanchonete fica no mesmo lugar desde sua criação e apesar de ter uma concorrência visível na região, mas o local tem um diferencial que são os dois mixes, os salgados, sorvete e picolé. Mas o que fez a diferença foi a famosa “chipinha” que forma fila na parte da manhã, além de ter um preço acessível o sabor e a crocância torna ainda mais atrativa.

Sérgio e sua esposa trabalham juntos e as funções são divididas ele diz “A gente consegue administrar bem, pelo fato de trabalhar em conjunto aqui, a administração do local é toda familiar, a lanchonete é um negócio da família, então por isso conseguimos conciliar bem”.

O cardápio é bem variado, serve esfirras, rissoles, doguinho, pão de queijo, empada, pastel dentre outros. Além de ser extremamente organizado e aconchegante, o atendimento se destaca, pela atenção e agilidade dos funcionários.

A lanchonete do Gaúcho, fica na rua Rui Barbosa e abre de segunda a sexta-feira das 6h30 às 19h e aos sábados até as 13 h. A lanchonete trabalha com encomendas. Para saber mais ligue (67) 99110-1106 ou 99178-4166.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Diferenças entre o celular comum e o Smartphone


Veja qual opção se encaixa melhor com o seu perfil e com a sua necessidade

Paulo Cesar Martinez

Reprodução/Internet
No mercado hoje existe uma infinita variedade de possibilidades quando se trata de telefonia móvel. Mas qual opção se encaixa melhor com o seu perfil e com a sua necessidade. Um especialista em tecnologia e informática, Matheus Valério, conta sobre as diferenças entre os Smartphones e o aparelho de celular comum.

Matheus explica que o Smartphone consegue trazer mais recursos, como fotos, gravações de vídeos e o acesso à internet, tudo isso é indispensável para muitas pessoas. Já o aparelho de celular comum é mais limitado, o mesmo atende mais a necessidades básicas como ligações e SMS.

A vantagem de um aparelho de celular comum é a duração de bateria, pois como não tem muitos aplicativos a bateria acaba durando mais e por isso ele pode ser usado por um bom tempo. Já o Smartphone executa muitas funções e pode substituir muitas vezes um notebook, mas a durabilidade de sua bateria é mais baixa devido ao número de funções que executa.

O especialista ainda ressaltou que as através do smartphone as pessoas podem ficar antenado nas notícias.

Gabriela dos Santos, que atende em uma banca de acessórios de celular, disse que a procura de aparelho celular é grande, a jovem atribui essa procura a um novo conceito em relação a tecnologia que as pessoas acabam associando com os celulares. “É difícil passar algum pela loja com um aparelho comum. A maioria tem aparelho digital com sistema androide e IOS”, finalizou a Gabriela.

Sistemas operacionais

Além dos tipos de telefone outro ponto de destaque quando se trata de smartphones é o sistema operacional. Atualmente existem aos menos três tipos de sistemas, o mais comum é o Android que está presente na maioria dos aparelhos, também há o sistema Windows que pode ser encontrado nos aparelhos da Nokia e o IOS que é da Apple portanto encontrado nos Iphones.

Confira no vídeo a entrevista com o especialista em tecnologia e informática, Matheus Valério:


sábado, 6 de outubro de 2018

Lei Seca irá vigorar durante o domingo de eleição


Será proibido o consumo de bebidas alcoólicas das 3h às 17h

Thais Cintra


Quem violar a lei pode ser condenado a pagamento de multa
ser preso por até 6 meses.
Reprodução/Internet
O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul decidiu na tarde da última sexta-feira (5) que durante o pleito eleitoral, no próximo domingo (7), será imposta em todo o estado a “Lei Seca”.

Segundo a portaria CRE nº 21/2018 será proibido o consumo de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes e conveniências do estado, das 3h às 17h. A medida foi tomada para evitar transtornos na cidade e não atrapalhar os trabalhos eleitorais, ressaltou o Desembargador João Maria Lós.

Estão excluídos da vedação aos estabelecimentos que funcionem somente como restaurante durante o período de almoço, das 11h30 às 14h30.

Quem descumprir a Lei, responderá pelo crime de desobediência, previsto no Código Eleitoral, com pena de prisão de três meses ou multa, e se houver tumulto durante as eleições, resultará na prisão por 6 meses e pagamento de 60 a 100 dias de multa a quem pratica-lo. art. 347 da Lei n. 4.737/65 do Código Eleitoral.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Paixão por soverte leva trabalhador a abrir sorveteria na capital


O empresário se especializou em um nicho que a indústria estava deixando de lado

Renan Santos 

A história de Marcelo com o sorvete começou quando ele ainda era funcionário em uma indústria que produzia sorvetes. O empresário relata que a ideia de abrir uma sorveteria no centro da capital surgiu quando viu que havia um nicho que a indústria deixava de lado e não atendia. “Eu trabalhava como funcionário em uma indústria de sorvete, onde tive acesso a várias vertentes do negócio e acabei identificando que dentro do mercado não existia o atendimento ao pequeno revendedor que quer fazer um evento. E as grandes indústrias têm um foco diferente e acaba deixando esse cliente de lado. E meu foco principal é atuar nessa aérea, atendendo esse revendedor que quer fazer um evento, aniversario, uma festa, bufê, proporcionando essa assistência a ele. Afirmou o empresário.

A Pio Sorvetes completou seis meses, e o ponto forte é o sorvete de qualidade e preço justo, na loja também tem os picolés que são apresentados de diversas formas, desde recheados a até com cobertura. O empresário ressalta que  a demanda tem sido grande.

O empresário disse que “atualmente a gente trabalha com modelo de atacado de sorvetes, onde a pessoa vem ao nosso estabelecimento, traz a família dela e dependendo do consumo que ela tiver, atinge uma meta de modo com que o preço fique diferente, como se fosse para um revendedor. Ou as vezes vem grupo de pessoas, amigos, que consomem e concentra uma certa quantidade entre eles, a gente aplica um desconto que faz ser um diferencial para que todos paguem mais em conta e consumam um produto de alta qualidade” explicou.

“Dentre esses sei meses que já estamos aqui tem muitos clientes que são fiéis, que gostaram do produto e que se agradam pelo ambiente, que criaram um relacionamento aqui com a gente, e tem o desejo de estar aqui diariamente. Com a identificação dos clientes mais afastados nós estamos buscando abrir lojas mais próximas dessas pessoas, para que eles também sejam fiéis, porque nosso produto tem um preço muito acessível e encaixa com o orçamento desse cliente, então ela pode se dar o luxo de ter esse prazer mais vezes na semana, porque não é nada que vá exorbitar esse orçamento dela”. Ressaltou o dono.

Além do preço ser acessível, o local se destaca pela decoração, onde o papel de parede combina perfeitamente com as cadeiras e o freezer, dando um charme a mais no espaço, para quem quer apreciar um bom sorvete com uma boa companhia em um ambiente climatizado e muito agradável. Além de atendimento ser de qualidade, os funcionários se destaca trazendo aquela comodidade que o cliente procura.

A sorveteria Pio Sorvetes fica localizada na Rua Barão do Rio Branco, 1490 entre a Rui Barbosa. Abre de segunda a sexta feira das 08 h as 19h00 e aos sábados até as 18 h.

Três profissões: quanto mais se trabalha menos se ganha no Brasil


Pesquisa revela que o mesmo fenômeno acontece em todo o mundo

Tero Queiroz


Apesar da aparente igualdade entre os sexos, os salários entre homens e mulheres continuam sendo diferentes. Mas não só esse ambiente desagrada a maioria dos trabalhadores, além das diferenças de salário por gênero, sobressaem as diferenças por tempo de execução do trabalho, ou seja, quanto mais se trabalha menos se ganha no Brasil.

Aos brasileiros são pagos salários baixos em comparação com os demais países, destaque entre os povos que mais trabalham atualmente no mundo. Os dados coletados pela OCDE - Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico - recentemente, fomentaram essa diferença na Europa e nos Estados Unidos.

O Brasil não fez parte desse estudo, mas é fácil comparar com os países nele incluídos. As diferenças salariais são abissais, chocantes: na Austrália e Luxemburgo, onde estão os melhores salários médios do mundo, aproximam-se de R$6.000 mensais e seus cidadãos estão entre os que menos trabalham no mundo. Esse mesmo quadro - salários elevados e poucas horas trabalhadas - se repete na Alemanha, Suíça, Noruega, Holanda, Dinamarca, Bélgica, Canadá e tantos outros.

Para comparação mais atenuada, a reportagem seguiu durante apenas um dia a vida de três personagens importantes para a economia e sociedade como um todo. São eles um político; vereador Otávio Trad (32 anos); uma professora de educação pública; Rosangela Amaro (45 anos); e um trabalhador e estudante; Marcos Maluf (32 anos), todos eles moradores de Campo Grande, estado de Mato Grosso do Sul, no Brasil.

Terça-feira, 25 de setembro de 2018, são exatamente 7h30 da manhã. Nosso repórter está em frente a um prédio em Campo Grande. Hoje acompanharemos um pouco do dia de trabalho do vereador, que pediu que a reportagem fosse feita hoje, terça-feira, “por que é um dia que tenho sessão [na Câmara], dia de sessão você pega os compromissos mais importantes”, explicou em mensagem enviada ao repórter.  

IFrameOtávio nos leva para conhecer seu gabinete de trabalho. O vereador conta que terá uma reunião e depois irá ao plenário da Câmara do Vereadores. Ele explica em detalhes seu cronograma pela manhã. 


IFrameTerça-feira, 02 de outubro de 2018, são exatamente 11h15 da manhã. Nossos repórteres estão em frente à Escola Municipal Danda Nunes, no Bairro Vivenda do Bosque em Campo Grande – Mato Grosso do Sul, nessa escola trabalha a professora Rosangela Amaro de Lima, professora de matemática. Rosangela agora segue para seu carro após acabar mais uma manhã de trabalho, está indo para sua casa almoçar. Rosangela explica que gasta 30 minutos para vir, “Tenho que sair de casa as 6h20, se não, não dá tempo! Tenho que estar lá as 7h, chego faltando dez minutinhos”, conta a professora que ainda vai encarar mais dois turnos de trabalho.


IFrameO trabalhador, Marcos Maluf, que trabalha pela manhã em um frigorífico, a tarde em um site como fotógrafo e a noite cumpre horários como estudante no curso de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, conta um pouco de sua rotina de trabalho.


Quarta-feira, 9h20 minutos, Maluf conta em vídeo sobre sua manhã de trabalho. "Eu sou eletricista industrial, estou agora em cima de um telhado, acordei cedo. É uma adversidade muito grande, a diferença é muito grande de um trabalho para outro. Esse é um trabalho 'periculoso' (sic), mais tarde vou fazer foto jornalismo em uma segunda jornada. No Brasil se temos pouca oportunidade temos que criar, e isso me faz acordar todo dia", explica Marcos. 

Maluf é pai de uma filha e vive em Campo Grande. Cursando Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo na universidade Uniderp-Matriz, polo localizado na Avenida Ceará, 333 na cidade. 

Após encerrada a sessão na Câmara Otávio Trad nos contou pouco sobre sua agenda, e nos convidou para acompanhá-lo a noite, onde ele faria a abertura de jogos dos funcionários públicos da cidade.

Terça-feira, 20h23 minutos, nossos repórteres acompanham ainda o vereador, ele fará a fala de abertura dos jogos. Em sua fala de abertura o vereador brinca sobre a liderança de um time dos times, os times são divididos por órgãos públicos que estes funcionários representam. No local há banda formada também por funcionários [representado em fotojornalismo na galeria], trata-se de um encontro de lazer desses trabalhadores. A abertura da sessão na Câmara será representada nas imagens a seguir:


Cerca de 30 minutos depois, os repórteres chegam na casa da professora de matemática, Rosangela Amaro. Ela desce do carro e convida os repórteres a entrar em sua casa. Rosangela ainda convida os repórteres para um almoço após apresentar sua casa e sua família. Na casa vivem Rosangela e os dois filhos, apenas Rosangela trabalha.


IFrameO gasto mensal da casa de Rosangela não nos revela, mas conta que gasta de R$ 400 à R$ 500 reais todo mês apenas com transporte. E que sua renda mensal total é de R$ 7 mil.  Após almoçar Rosangela dará aula em outra escola, na Escola Estadual Sebastião Santana de Oliveira, no Bairro José Abrão. “Eu entro as 13h lá, aí a noite leciono na mesma escola”, conta a professora.

Ainda no trajeto até o “segundo turno” de trabalho, Marcos Maluf conta sobre sua satisfação salarial, Maluf tem carro próprio de custeia também seu combustível de um trajeto para outro de trabalho. 



IFrameOtávio Trad conta ao repórter que seu ganho mensal é de R$ 11 mil reais, mas explica também que no dia que foi acompanhado, o repórter não havia deixado claro que seria uma entrevista sobre seu cargo de vereador. Veja a mensagem:

Professora Rosângela, finalizou o encontro com a reportagem as 14h21 minutos, momento em que os repórteres deixaram a sala de aula em que ela lecionava. A aula que falava sobre ‘Matemática Financeira’, direcionada a uma turma de ensino médio.

A análise de ganho das três profissões mostra os resultados na prática de pesquisa de ganho ainda não realizada no Brasil. Mas que na análise realizada pela OCDE permite concluir que os países do Norte da Europa e alguns do Centro, são os mais privilegiados na equação trabalhar menos e ganhar melhores salários. São países com alta produtividade e que pouco produzem bens de baixo valor de compra - roupa ou calçado - e privilegiam a produção dos melhores carros do mundo e de equipamentos altamente sofisticados.

No comparativo ao levantamento desta pesquisa, brasileiros poderiam trabalhar mais que em tempos de escravidão e ainda assim não receberiam nem mesmo a metade do que alguns povos europeus recebem.

Além da produtividade ser baixa no Brasil e em muitos outros países, o debate que está posto na Europa e EUA é o da qualidade de gestão. Admite-se como fator coadjuvante à produtividade, a má qualidade dos gestores para não ultrapassarmos a barreira de trabalhar muito e ganhar baixos salários.

Galeria de fotos:











*Fotos e vídeos: Eva Elvina