terça-feira, 17 de setembro de 2019

Situação climática atípica castiga Mato Grosso do Sul


Onda de calor e temperaturas elevadas devem continuar até novembro

Jurandi Libero


Foto: Jurandi Libero
Nas últimas semanas Mato Grosso do Sul vem sendo atingido por uma onda de calor intensa, que tem causados problemas em vários níveis, desde de a saúde até problemas ambientais. Tudo se deve à falta de chuvas, aos ventos que tem atingido 50 a 60 km por hora e a baixa umidade do ar.

Segundo o meteorologista Nátalio Abrão essa situação crítica deve continuar pelo menos até o fim de setembro. Por isto a população deve tomar vários cuidados para se manter saudável durante esse perdido, tais como: tomar bastante líquidos, não se expor ao sol nos horários de pico, que vai desde a metade da manhã e até o fim da tarde, usar protetor solar de fator elevado, usar roupas leve e frescas, se proteger do sol forte e alguns cremes para hidratação da pele e evitar fazer exercícios físicos durante os horários mais quentes do dia.

“No decorrer desta semana não há previsão de mudança e as condições atuais permanece em diversos municípios. Em alguns a temperatura deve passar a barreira dos 40°C e com tendência de alta” é o explica o meteorologista.

Foto: Jurandi Libero
Ainda este mês a previsão aponta que em Coxim, Sonora, Pedro Gomes e os municípios na divisa com o Mato Grosso a temperatura deve ultrapassar 45°C. O que pode causar muitos danos estruturais em muitos municípios. Outra situação curiosa é que esta mudança climática tem interferido até nas florada dos Ipês, típicos dessa época do ano.

Este ano a situação climática aqui na nossa região está totalmente atípica e isto pode comprometer a saúde da população, principalmente crianças, idosos e sem esquecer os animais. Os pets também são muitos prejudicados com estas mudanças, portanto você deve manter seu animalzinho em locais arejados e protegidos do sol e evitar passeios nos horários de picos, pois o sol quente eleva a temperatura do solo o que pode causar queimaduras graves nas patas dos animais.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Estudo para recapear vias da capital está em andamento


O projeto busca melhorar o trânsito em áreas de grande fluxo

Jurandi Libero

Foto: Site Habitare News
Algumas ruas da capital estão todas desenhadas e marcadas com linhas brancas e isso deixou muitas pessoas curiosas sobre o que estaria acontecendo. De fato, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep) está fazendo um estudo para recapear diversas ruas de Campo Grande.

E foi durante as atividades desse estudo que foram realizadas muitas marcações no asfalto de várias ruas da cidade, principalmente as que tem grande fluxo. Os técnicos da secretaria estão fazendo o levantamento sobre a viabilidade econômica para que o serviço possa ser executado.

Eles percorreram algumas vias e chegaram que a conclusão que o serviço de “Tapa Buraco” é meramente paliativo e de pouca durabilidade, e que para a solução mais definitiva seria necessário a recuperação dos buracos e posteriormente o recapeamento das vias.

O secretário de obras, Rudy Fioresi, afirma que essa revitalização será possível, pois a Caixa Econômica Federal disponibilizou uma verba por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) e também devido ao repasse de uma Emenda Impositiva de 22 milhões de reais, feito pela bancada sul mato-grossense na Câmara Federal.

O secretário que acredita que com estes recursos seja possível resolver em definitivo os problemas nestas regiões. “Este projeto inclui aproximadamente 28 km. Estão incluídas as regiões do Anhanduizinho, da Lagoa, do Bandeira, do Prosa e do Centro” conta o Rudy Fioresi.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Continua a crise hídrica em Campo Grande


Para evitar um racionamento a população precisa fazer uso consciente de água

Jurandi Libero com assessoria
Imagem Internet
As altas temperaturas somadas a seca prolongada, e um aumento de 5 graus acima da média da temperatura para essa época do ano, Campo Grande está registrando recorde no consumo diário de água pela população. Somente nos primeiros dias de setembro o campo-grandense já consumiu 20 milhões de litros de água a mais por dia, se compararmos com o mesmo período do ano anterior.
Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e a Defesa Civil a capital está em alerta vermelho. A concessionária de águas pede o apoio da população no consumo consciente de água durante o período de estiagem.
“Estamos com todas as equipes fazendo um trabalho emergencial em termos de reforço no abastecimento, ações de contingenciamento e soluções para aumento da produção de água, porém algumas regiões podem ficar desabastecidas neste período mais crítico”, afirma o diretor executivo da Águas Guariroba, Celso Paschoal.
As regiões que já foram afetadas pela estiagem são: Alves Pereira, Universitário, Parati, Piratininga, parte do Aero Rancho, Columbia, Anache, Jd. Presidente, Indubrasil, Santa Emília, Portal Caiobá, Tijuca I e II, Centenário, Moreninhas, Giocondo Orsi, Progresso, Mansur, Tiradentes, Flamboyant, Margarida, Estrela do Sul, Otávio Pécora, Coophasul, Laranjeiras, Coophatrabalho, Talismã, Seminário, Norte Parque, Carajás, Santa Luzia, Pioneiros, Campina Verde, Itamaracá, Bálsamo, Marajoara, Los Angeles, Dom Antônio Barbosa, Amambai, Taveirópolis, Coophamat, Aquarius, Rita Vieira e Bela Laguna.    
De acordo com a Águas Guariroba apesar do lançamento da campanha para um consumo consciente, uma racionalização não é descartada e somente o retorno das chuvas podem amenizar a situação. As previsões para a volta das chuvas não são nada animadoras antes de novembro. Por isto a população deve continuar economizando.
Dicas para isso envolvem varrer as calçadas em vez de lavar com mangueiras, fazer uso racional das maquinas de lavar roupas, excesso de tempo no banho e evitar chuveiros e torneiras o tempo todo abertas, dentre outros.
A empresa continua monitorando o nível dos reservatórios e trabalhando os sistemas para agilizar o uso de outras fontes, como os poços profundos e interligação entre as redes de abastecimentos entre diversos bairros. Também estarão disponíveis caminhões pipas para emergências e colocou à disposição os seus canais de atendimentos para qualquer dúvida e informações. 0800 642 115, ou 115 e também pelo WhatsApp 99123-0008.

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Águas Guariroba emite alerta para consumo consciente de água


A redução no consumo está sendo estimulada para evitar a racionalização

Jurandi Libero

As altas temperaturas, a seca prolongada, o aumento do consumo de água acendeu a luz amarela em Campo Grande. Devida a estes fatores, a Águas de Guariroba lançou uma campanha para o consumo consciente, na tentativa de evitar uma racionalização.

O poder de evitar essa situação preocupante está nas mãos da população, pois esta estiagem é considerada uma das maiores nos últimos anos e pelo visto, deve continuar até novembro.

Para minimizar o problema, a empresa está monitorando o nível dos reservatórios e acionando os sistemas que possibilitam o uso de outras fontes, como os poços profundos. Também estarão disponíveis caminhões pipas para emergências e colocou à disposição os seus canais de atendimentos para qualquer dúvida e informações. 0800 642 115, ou 115 e também pelo WhatsApp 9 9123-0008.

Confira na íntegra a nota emitida nesta terça-feira:



segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Fundação Manoel de Barros lança campanha “Eu Alimento”


Doar é um ato de amor, o pouco para quem doa é muito para quem recebe

Jurandi Libero

Faça parte dessa corrente do bem.
Foi lançada no último domingo, dia 08 de setembro, a campanha “Eu Alimento” uma parceria da Fundação Manoel de Barros e da Uniderp. A campanha tem por finalidade a arrecadação de alimentos não perecíveis, que serão doados a diversas instituições sociais que atuam no auxílio de famílias e pessoas carentes.

A mobilização vai até dia 15 de outubro, as doações poderão ser entregues na sede da Fundação Manoel de Barros, na avenida Ceará,119. No ano passado foram arrecadadas 3,5 toneladas de alimentos e foram distribuídos para sete instituições. A meta este ano é arrecadar mais de seis toneladas.

O diretor da Fundação, Professor Marcos Henrique Marques, convida toda a comunidade campo-grandense a participar dessa ação de solidariedade com os mais necessitados. “A fome tira a dignidade das pessoas”, lembra o professor. Ele afirma que muitas vezes um sacolão recebido, uma cesta básica doada, um prato de comida, uma pequena ajuda aumenta a dignidade das pessoas e melhora sua autoestima.

“Um ato solidário permite que a pessoa vai em busca por um emprego e crie coragem para seguir adiante. Por isto é muito importante a participação de todos. Sem falar na grandeza do gesto, doar é muito bom. Bom para quem doa, pois ajuda o próximo e para quem recebe porque se sente incluído” finaliza o professor.


sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Queimadas um problema que requer conscientização


A falta de responsabilidade social é a grande vilã dessa tragédia que vem assolando nossa país

Jurandi Libero


Foto: Portal MS/ Chico Ribeiro
A temporada de queimadas no Brasil é um fato constante todos anos. Fato que se devido a irresponsabilidade das pessoas que usam o fogo para a limpeza aproveitando o tempo seco, mas os incêndios são invitáveis quando considerados o vento e calor. Todos os anos, de abril até setembro as queimadas simplesmente saem do controle, apesar das recomendações dos órgãos governamentais.

Em Mato Grosso do Sul, este ano de 2019, contribui com 7.554, dos 74.115 focos de incêndio no Brasil, ou seja mais de 10% de todas as queimadas. Campo Grande também bateu o recorde do ano anterior e produziu 2.775 focos de incêndio contra 1.950 do ano de 2018, ou seja, um aumento de aproximadamente 30%. Já no interior do estado houve 3.765 incêndios em 2018 contra 4.775 em 2019.

De acordo com 1° Tenente Salles, do Corpo de Bombeiros da capital, os focos de incêndio no estado ainda precisam de atenção. “O número de incêndios é muito maior do que eu já disse. E pode se ter certeza que essa situação é por causa humana, são queimadas provocadas pelo homem. Por isso que ressaltamos a importância de não se fazer queimadas” ressaltou o militar.

Foto: Portal MS/ Chico Ribeiro
Além dos gatos na contenção dos incêndios também deve se levar em conta o aumento de gastos na saúde pública e o prejuízo financeiro que as queimadas provocam para grande parte da população. O investimento é altíssimo e sai do bolso do contribuinte, de setores carentes como a saúde e a educação.

Se a população, de uma forma geral, se conscientizar, isso geraria uma redução no número dos focos de incêndio e  levaria a uma melhora a qualidade de vida do povo e a diminuição na poluição do planeta.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Uniderp participa do XIV Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educação


Flexibilizar a maneira de ensinar foi um dos pontos defendidos pelos professores

Jurandi Libero

Os professores da Uniderp participaram ativamente do congresso
Aconteceu em Campo Grande, de 28 a 31 de agosto, o XIV Congresso Nacional de psicologia educacional, com o objetivo de discutir a educação no contexto da igualdade racial, questão indígena, violência e preconceito nas escolas, visto a situação em que se vive as minorias na atualidade. Este expor reflexões, posições coletivas e a preparação dos profissionais frente aos desafios que se apresentam atualmente.

Outra finalidade deste é a atuação na apresentação e pesquisas e afinando as relações entre a psicologia e a educação, como uma rede nacional e internacional e que tem por objetivo unir mais os que atuam no campo educacional. Foram convidados renomados conferencistas nacionais e internacionais que atuam nesta área: A Psicologia escolar, educacional de educação. Inclusive com ênfase as minorias e excluídos.

“O congresso foi um tanto surpreendente, enriquecedor, com muita aprendizagem, troca e relatos de experiência. Participamos na modalidade mesa redonda com a apresentação de banners. Em nossa apresentação abordamos a questão de neurociência, e procuramos desmistificar aspectos referentes a inteligência. Tivemos o apoio dos professores e doutores que defendem que avaliar o Q.I. não é a única forma de medir e avaliar a inteligência. E que se deve flexibilizar o ensinar, se preocupando também com a sensibilidade” conta a professora e psicóloga Sanami Esaki.

A psicóloga ainda frisou o relato da Professora e Dra. Mariângela da Silva Monteiro, PUV-RJ, que defende a inclusão escolar e visa que todo indivíduo tem uma identidade de responsabilidade social e a corresponsabilidade com o “serzinho” que precisa de ajuda. “A escola e o profissional têm que entender o funcionamento cognitivo e afetivo de cada um e não rotular, mas dar os mesmos diretos de aprendizagem respeitando cada indivíduo. É importante frisar que as avaliações psicológicas e neurológicas não são tudo. Vale mais o afetivo e cognitivo de quem precisa ser assistido. Isto identifica suas potencialidades” concluiu a psicóloga.

A atividades desenvolvidas neste congresso incluíram debates, lançamento de livros, exposições de trabalhos e com destaque a áreas especificas voltada para a educação, tais como: inclusão escolar, fracassos, educação e ações educativas no geral, família e seus processos educativos, étnico raciais, imigrantes, refugiados, políticas públicas de educação, pantaneiros, ribeirinhos, a questão de saúdes deste e inclusão social, psicologia escolar e questões de gêneros.



terça-feira, 3 de setembro de 2019

Plástico o mal do século XXI


#chegadeplastico a campanha que vem para conscientizar

 Jurandi Libero 
Um dos maiores problemas ambientais atuais do planeta são os plásticos, infelizmente esse material que é extremamente poluente, devido ao seu longuíssimo processo de decomposição, faz parte do nosso cotidiano. Muitas pesquisas apontam que a poluição plástica que está acontecendo nos oceanos é responsável pela morte de muitas espécies de animais marinhos.
Resende Junior, jornalista, fotografo e mergulhador é apaixonado pela vida marinha e depois de testemunhar os males que a poluição vem causando no meio ambiente resolveu criar a campanha #chegadeplastico, que vem crescendo cada vez mais e sendo apoiada por diversas personalidades.
Na campanha o mergulhador afirma que é possível a substituição deste material por algo menos poluente e contaminante. “Hoje é possível substitui-lo por produtos de papel, que tem uma decomposição mais rápida e menos danosa, por vidros que podem ser reutilizados” afirmou.
Estudo ainda apontam que devido à contaminação composta pelo plástico ingerido pelos animais pode acabar causando problemas à saúde humana, pois após a ingestão da carne contaminada é possível que cause diabetes, câncer e aumento de pressão em animais e pessoas.
Dados ainda apontam que apenas 8% do plástico produzido são reaproveitáveis, mas apenas 5% realmente são totalmente reciclados. Portanto 95% do plástico é descartado na natureza sem nenhuma preocupação
Hoje cidades como Salvador, Recife e Rio de Janeiro estão totalmente tomadas por este material que foi descartado. O petróleo é responsável pelas mudanças mais radicais no planeta nos últimos cem anos e por grandes danos a população em geral. E tem gerado mais miséria do que riquezas em algumas nações.
O petróleo já pode ser substituído por materiais menos poluentes e que tem um período de decomposição mais curto. De acordo com o Canal Globo Rural, pesquisadores da Goodyear e da americana United Soybear (USB) já estão produzindo pneus veiculares com óleo de soja e sílica de casca de arroz. São produtos ecologicamente corretos, recicláveis, mais seguros e totalmente renovável, sem citar que tem durabilidade maior e um custo 30% menor. Isto com sem falar na inclusão econômica dos países produtores de grãos
Quer fazer parte dessa corrente do bem? Qualquer atitude por menor que seja ajuda ao meio ambiente. A mais simples começa em casa com a separação correta do lixo doméstico, destinado os materiais recicláveis para a coleta seletiva e a tomada atitudes conscientes como o uso de sacolas retornáveis no supermercado e a redução do uso de itens plásticos como copos e canudos. Seja consciente o meio ambiente agradece.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Taxa de desemprego cai no mês de julho


Apesar da queda nos índices, ainda há um desequilíbrio no mercado

Jurandi Libero

Foto: gustavomellossa/Getty Images
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que a taxa de desemprego recuou para 11,8% da população economicamente ativa no trimestre que terminou em julho de 2019. Esta queda fez com que 609 mil pessoas voltassem ao mercado de trabalho. Este foi o melhor resultado desde julho de 2018 quando a taxa era de 12,8%.

Houve também um aumento no nível de ocupação de pessoas que sobrevivem sem carteira assinada e pelo trabalho por conta própria. Este ano o aumento no nível de ocupação dos que não tem carteira assinada cresceu 3,9%, e no ano de 2018 este aumento foi de 5,6%, e também houve um aumento do que trabalham por conta própria. Passou de 1,4 em 2018 para 5,0% em 2019.

“Apesar da queda de desocupação, ainda é alto a geração de empregos sem carteira assinada e por conta própria.  Hoje os sem carteira assinada são cerca de 2,4%, e foi de 1,3% no período anterior, no setor privado, o mercado ficou estável enquanto no mercado informal continua em alta” explicou Simara Azeredo, coordenador de trabalho e rendimento do IBGE.

Mas não deixa de ser uma boa notícia, visto que este estava estabilizado e há uma perspectiva de recuperação para os próximos meses. O desemprego ainda é elevado no Brasil e tem diversos fatores; o baixo investimento privado, o excesso de gasto público, a qualidade do ensino em geral, principalmente na formação técnica e os custos financeiros na folha de pagamento no geral.

Outro motivo tem sido a desistência pela busca de uma vaga no mercado de trabalho, associado a 
queda do poder aquisitivo. Também contribui os baixos salários pagos pelo mercado devido a oferta e o ganho maior na “informalidade”.

Um dos fatores que influenciam fortemente na questão do desemprego é a procura especifica por mão de obra extremamente qualificada, para as mais diversas áreas do conhecimento, tais como alta tecnologia, agronegócios, novas fronteiras agrícolas com produtos tipo exportações e as qualidades e desejos empreendedores do povo brasileiro.

sábado, 31 de agosto de 2019

Campo Grande sedia a primeira Fenagrande


A feira busca enfatizar a produção e a vida no campo


Jurandi Libero


O evento acontece nos altos da Avenida Afonso Penna.
Está acontecendo em Campo Grande a primeira Fenagrande. O evento iniciou dia 30 de agosto e irá até 01 de setembro e acontecerá das 10 da manhã até as 21 horas nos altos da avenida Afonso Penna, na cidade do natal. Acontecerão diversos eventos, tais como: Exposição de equipamentos, empresas da área, shows, workshops, palestras, praça de alimentação, artesanatos, etc...

De acordo com Mara Betânia Gurgel, diretora adjunta municipal da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedesc), este evento busca alavancar o agronegócio na capital e todo o Mato Grosso do Sul.

“Terá destaques para a conservação ambiental, a inclusão de sustentabilidade ambiental, a inclusão de novos produtores e também uma preocupação em exploração consciente dos recursos naturais” destacou a diretora.

A feira focará no consumo interno e na agregação de valores nos produtos. De acordo com o pesquisador, doutor e professor da Uniderp Marcos Barbosa Ferreira a feira terá um enfoque na gestão e no aperfeiçoamento de produtos daqui.

O professor Marcos Barbosa conduz
o projeto de pesquisa da Ovelha Pantaneira.
“Estamos no meio agropecuário e somos área de produção de alimento. Focamos o doutorado e mestrado em meio ambiente, foco na produção de frutas nativas, novas plantas com propriedades medicinais, conservação, produção e melhoria. Trabalhamos hoje com a Ovelha Pantaneira, que é estudada a 10 anos. Uma raça com mais de 400 anos e esquecida” ressaltou o professor.

O evento tem o apoio da Uniderp que teve o convite da Sedesc e outros parceiros, tais como a Embrapa, a UFGD, juntos com diversos profissionais da área dos agronegócios, tais como engenheiros, administradores, agrônomos, entre outros. Com exposição de projetos voltados para a melhoria e o bem-estar ambiental e rural.

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Reitor da Uniderp é homenageado pelo apoio à educação


Um acadêmico do curso de jornalismo também recebeu o reconhecimento

Thaís Cintra

Reitor Taner Douglas Alves Bitencourt
Foto: Thiago Lung
Na noite de quinta-feira (1), em comemoração aos 120 anos da Capital, foi realizado na Câmara Municipal de Campo Grande, o evento que lança o calendário de festividades que ocorrerão durante o mês de agosto. Na cerimônia estavam presentes autoridades públicas, como o prefeito Marquinhos Trad e os representantes do Poder Legislativo Municipal.

O chefe do Executivo parabenizou a Uniderp pela participação ativa em projetos que visam à inclusão e formação de jovens no mercado de trabalho. Um desses projetos é o Levanta Juventude, que traz em sua estrutura, opções de aulas preparatórias para o Enem e empregabilidade. O subsecretário de políticas públicas para a Juventude, Maycon Nogueira, também ressaltou a importância da parceria com a universidade.

“Se não fosse a parceria com a Uniderp, talvez não tivéssemos condições de atingir um número expressivo de jovens em Campo Grande. A estrutura e espaço que universidade oferece, são fundamentais para que a gente desenvolva atividades de empregabilidade, capacitação profissional para jovens e os "aulões" preparatórios para o Enem. A intenção do projeto é atender uma quantidade cada vez maior ano a ano, para que as parcerias entre o governo e a iniciativa privada, sejam produtivas na vida daqueles que mais precisam, nesse caso os jovens da nossa capital” frisou o subsecretário.

Acadêmico de Jornalismo Johnny Gomes
Foto: Thiago Lung
O reitor da Uniderp Taner Douglas Alves Bitencourt foi um dos homenageados pela Prefeitura, devido à grande colaboração que a universidade tem ante a sociedade. “A homenagem é para a Uniderp, estou representando a Instituição. A Uniderp deve ser reconhecida no sentido de buscar a transformação do futuro das pessoas, independente de quem seja, dentro dos pilares da educação e da aprendizagem” destaca o educador.

Outro homenageado foi o acadêmico do curso de jornalismo, Johnny Gomes, reconhecido devido a sua participação ativa em divulgar as iniciativas apoiadas pela universidade. “Ter essa visibilidade ainda enquanto universitário, é muito importante para minha carreira. Fico feliz em participar e apoiar” comentou o universitário.

sábado, 25 de maio de 2019

Café o queridinho do brasileiro tem dia especial em maio


A data foi instituída para relembra o início das grandes plantações cafeeiras no país

Nany Sene
Foto: Valentyn Volkov
Que o café é uma das bebidas mais consumidas temos certeza, agora você sabe como surgiu o café? Diz à lenda que um pastor que vivia na atual Etiópia, com o nome de Kaldi encontrou pés de café e resolveu dar a planta para o seu rebanho se alimentar, enquanto os animais consumiam os frutos, ele observou que eles ficavam mais dispostos a felizes.
Surpreso com a reação dos animais, Kaldi resolveu levar alguns frutos até um monge, chegando lá ele explicou como seus amimais ficavam ao consumir os frutos e o monge resolveu realizar um experimento, realizou uma fusão dos frutos e tomou o liquido, o monge notou que de fato se sentia mais disposto e feliz. Após o experimento o fruto passou a ser consumido por diversas pessoas. 
Não se sabe ao certo a veracidade da lenda, mas de uma coisa não há duvidas, o café trás diversos benefícios para a saúde, incluindo os citados na lenda. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, de 10 brasileiros 9 consomem café, essa pesquisa foi realizada com pessoas acima de 15 anos.
Para os “cafeólatras” é necessário ficar atendo a quantidade de café consumida, não ultrapassando 400 miligramas diários equivalente a três xícaras de 150 ml de café, de acordo com a revista Veja. O uso excessivo de cafeína pode causar efeitos colaterais desagradáveis como insônia, nervosismo, inquietação, irritabilidade, dor de estômago, batimento cardíaco rápido e tremores musculares.

No Brasil, o Dia do Café é celebrado em 24 de maio e relembra o início das grandes plantações cafeeiras no país, responsáveis por representar um importante período histórico para o desenvolvimento da economia e sociedade brasileira.

terça-feira, 14 de maio de 2019

Semana da Enfermagem exalta profissionais da área


Durante essa semana são realizadas diversas atividades destinadas aos profissionais


Mayara Fernandes

Foto: HuffPost Brasil/ Tetra Images Via Getty Images
O dia 12 de maio foi escolhido como Dia Internacional da Enfermagem, uma homenagem a Florence Nightingale. No Brasil a data comemorativa teve inicio em 1938, por ordem do então presidente Getúlio Vargas. No entanto, no país a celebração mais comum é conhecida como a Semana da Enfermagem, que começa no dia 12 de maio (dia internacional da enfermagem) e termina no dia 20 de maio (dia do auxiliar e técnico de enfermagem).

Normalmente durante essas datas, são realizadas diversas atividades destinadas aos profissionais da área, como cursos, palestras e discussões para a ajudar a melhorar e potencializar as funções do trabalho.

Os profissionais de enfermagem, tem como função garantir a recuperação e o salvamento de vidas em perigo, seja em hospitais, casas ou em demais instituições que necessitam de seus cuidados e assistência contínua.

Florence Nightingale


Florence Nightingale nasceu em Florença, na Itália, e aos 17 anos decidiu ser enfermeira, acreditando em um chamado de Deus para fazer enfermagem. Na guerra da Crimeia, em que o Reino Unido participou, foi onde se trabalho se tornou conhecido e foi chamada de “Dama da Lâmpada”, instrumento que usava durante as noites, para melhor ajudar os feridos.

Florence fundou a primeira Escola de Enfermagem do mundo na Inglaterra em 1860. Porém a data oficial do dia da enfermagem foi estabelecida somente em 1974, pelo conselho internacional de enfermeiros, mas desde 1965, é celebrado esse dia mundialmente.

Quem escolhe enfermagem, a escolhe por amor, onde levam um pouco de paz e de cuidado aqueles que precisam. Valorizem o profissional e os retribuam com amor e zelo.

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Desmatamento no Parque dos Poderes pode ameaçar fauna e flora


A área é um importante observatório do Cerrado brasileiro e gera equilíbrio ao ecossistema local

Mayara Fernandes

Foto: Secretaria de Estado de Administração
Devido a um projeto de desmatar áreas da mata do Parque dos Poderes, para a construção de estacionamentos e prédios, ambientalistas e ativistas tentam alertar a população e a administração do governo atual sobre os riscos ao ecossistema local.

A área é um importante observatório do Cerrado brasileiro e gera um grande equilíbrio natural no ecossistema da cidade e do estado. Sendo o bioma mais ameaçado do pais, tem-se a necessidade de um olhar especial de gestores, ambientalistas e moradores. Desmatando uma área deste bioma, pode implicar em destruição de vários habitats de muitas espécies e na desestruturação nas redes de interação de diversos animais.

Campo Grande é reconhecida como a capital do turismo de observação de aves, onde a região do Parque dos Poderes é identificada como uma das mais importantes reservas de biodiversidade para a observação de aves existentes na cidade. Nesta região são encontradas mais de 160 espécies de pássaros, onde particularmente duas delas só sobrevivem nesse bioma, quando esta preservado.

Com interferências de tal grandeza, inúmeras espécies que tem como habitat o local, podem acabar se afastando e até se tornando raro encontra-las na região. Além de consideração a situações humanas, onde a perca da vegetação pode levar a diminuição do conforto térmico, a alegria, paz e o encontro com espécies variadas durante os dias no local.

Com a ideia do não desmatamento da região e a preservação do bioma e das espécies que vivem ali, ambientalistas e diferentes pessoas criaram um abaixo assinado para defender o local.

Em uma reunião a Fundação de Cultura do Estado e entidades de proteção ao meio ambiente chegaram à conclusão de que uma possível solução para evitar que áreas sejam desmatadas seria o tombamento do Parque dos Poderes como Patrimônio Cultural, o que é possível também com paisagens naturais, segundo a Lei 3.522/2008.

Preservar é vida, a cidade necessita respirar e os seres humanos que vivem nela também. O Parque dos Poderes é um dos corações da cidade, que auxilia na filtragem do ar. Preserve e ame a natureza.

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Programa de Trainee JBS 2019


Procura por uma vaga de Trainee? Veja abaixo os detalhes do processo seletivo da JBS


A JBS, uma das maiores indústrias de alimentos do Mundo, está com processo seletivo aberto para seu Programa de Trainee 2019, voltado para estudantes dos cursos de Engenharia Mecânica, Engenharia de Automação, Engenharia Elétrica, Engenharia Química, Engenharia de Alimentos, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Logística, Engenharia de Manutenção, Administração de Empresas e Farmácia, com formação entre Dezembro de 2016 e Dezembro de 2018.

O programa de Trainee JBS 2019 tem como propósito formar líderes para atuarem nas áreas industriais e corporativa. O programa prioriza experiências práticas, para que os trainees vivenciem o dia a dia da operação, tendo autonomia para tomar decisões e aprender a partir de treinamentos on the job. Com esta formação, os trainees terão as ferramentas necessárias para se desenvolver e assumir posições estratégicas no futuro.

As inscrições vão até 18/05/2019.
Mais informações: Programa de Trainee JBS 2019

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Eterna Flora: a arte de eternizar momentos em resinas


Usando somente matérias naturais e buscando a conscientização de proteção à natureza

Mayara Fernandes

Com a motivação de trazer algo novo, natural e que inspire pessoas Rafael Segóvia, de 24 anos, decidiu criar peças de decoração e acessórios usando elementos naturais e a resina para eternizar e manter intacto todos os elementos utilizados.

Com influência de tribos indígenas, Rafael começou a sentir um amor pela natureza ainda quando criança, quando morava no interior do estado. “Minha maior inspiração ainda é a natureza, pois ela me abre um imenso leque de alternativas e possibilidades infinitas para mim usar nas inspirações criativas” conta Rafael.

Utilizando materiais da natureza, o eco designer utiliza de inspirações para recriar cenários e até mini paisagens dentro de elementos resinados. Geralmente produtos inúteis e indesejados são utilizados para criar novas peças, tendo com uma grande função o reaproveitamento ecológico, agredindo cada vez menos o ambiente e retirando materiais que poderiam estar poluindo a natureza.

“No começo eu não esperava trabalhar com isso, pois sempre gostei de arte e artesanato e nunca me imaginei sobrevivendo fazendo isso, mas depois de um ano e meio descobri que é isso o que quero fazer para o resto da vida e espero alcançar muitas pessoas com essa ideia de consumo respeitoso”.

Atualmente a venda dos artigos da Eterna Flora é via internet, em uma página de Instagram, onde já possui mais de 21 mil seguidores, tanto da cidade como do Brasil a fora. Com a venda online, as peças produzidas pela marca já chegaram a diversas cidades e estados, podendo assim disseminar cada vez mais a ideia. Com o crescimento ao longo dos anos, Rafael tem o sonho de tornar a loja física, onde ele possa vender produtos, produzir e dar aulas para incentivar a produção criativa e sustentável na cidade.

A Eterna Flora vem buscando o contato direto com o público e abordando temas de consumo excessivo e desrespeito a natureza, mesmo com uma grande demanda de encomendas, a produção tem sido constante.

domingo, 5 de maio de 2019

Modelo passa mal em desfile no São Paulo Fashion Week


Ele foi prontamente atendido pela equipe de socorristas

Mayara Fernandes

O último dia de desfile da 47º edição da São Paulo Fashion Week, vai deixar história e gerar debates no mundo da moda. Nos primeiros minutos de apresentação da grife Ocksa, o modelo conhecido como Tales Cotta, de 26 anos, caiu ao mostrar um look do estilista Igor Bastos. Com um espírito performático, ao som de eletrônicos agressivos produzidos pelo DJ Augusto Correa, o tombo do modelo pareceu uma intervenção durante a apresentação.

Mas, no entanto, com tremores e a espuma saindo pela boca, perceberam que não era uma encenação. O modelo estava agonizando e passando mal diante a centenas de pessoas. Com um semblante estático e a pele avermelhada em menos de dois minutos dois bombeiros estavam retirando o modelo da passarela e tentando reanima-lo. 

Ainda com vida o modelo foi socorrido e levado para o Pronto Socorro Municipal da Lapa. E as 19h, desse sábado, a empresa que organiza o maior evento de moda do Brasil, noticiou a todos os participantes e marcas do evento que o modelo não havia suportado e tinha vindo a óbito.
Em entrevista, amigos e jornalistas do modelo informaram que ele estava bem antes do ocorrido. Mas não havia comido, pois era vegetariano e os camarins não tinham esse tipo de suporte.

Com o falecimento do modelo, organizadores se limitaram a dizer que o jovem “foi prontamente atendido pela equipe de socorristas e em seguida levado ao hospital, mas infelizmente não resistiu”.
Mas tudo parecia normal, organizadores, modelos e participantes do evento, continuaram a programação normalmente. Se não fosse a atmosfera de luto, que tomou conta nos camarins, tudo estaria em uma situação bizarramente normal. O mundo da moda clama por mudanças e por melhorias.

sábado, 4 de maio de 2019

Conscientização sobre o autismo é tema de campanha


O objetivo combater o preconceito e até mesmo chamar a atenção de autoridades a respeito do assunto

Mayara Fernandes

Foto: Site Camim
Cada pessoa tem seus gostos, aprendizados e habilidades únicas. Nosso cérebro pode ser comparado com o mesmo funcionamento de um computador pessoa, sendo assim responsável pela maneira que nos sentimentos e nos comunicamos. Em alguns casos, o cérebro responde de uma forma “diferente”, para interpretar certas situações. Essas alterações podem ser compreendidas como autismo.

Com o intuito de levar informações a diversos locais a respeito do autismo, a campanha Abril Azul, foi uma proposta criada em 2007. E tem como objetivo combater o preconceito e até mesmo chamar a atenção de autoridades a respeito do assunto. O dia 02 de abril, foi instituído pela ONU como sendo o Dia Mundial do Autismo, uma data para alertar a sociedade e assim desmitifica-la.

O autismo é uma junção de condições, como atrasos e anormalidades no desenvolvimento do comportamento social. Além de dificuldades de comunicação e linguagem. Geralmente pessoas com esse espectro tem uma capacidade incrível de realizar tarefas de extrema complexidade para outras pessoas, assim como atividades simples geram uma grande dificuldade para ser realizada.

Sem causas definidas, as suas origens ainda não foram totalmente esclarecidas. Pesquisadores vinculam a condição predisposição genética, outros afirmam que pode ser devido a infecções durante a gestação e até mesmo a fatores externos como poluição e estresse. A condição pode ser pode ser diagnosticada ainda na infância, antes mesmo dos 18 meses de idade e geralmente é levada até a vida adulta.

O diagnóstico é essencial para que o portador tenha uma qualidade de vida e os impactos sociais e econômicos possam ser reduzidos. Possuindo três graus, o diagnóstico é feito por meio de observação de comportamento, avaliando o grau de autonomia do paciente. Quanto menos autônomo for, mais severo é a condição.

Mas independente do grau diagnosticado, com o apoio necessário e com o autista pode encontrar atividades que lhe interesse, além de conseguir realizar atividades com mais autonomia, diante a suas limitações e características. Acompanhamentos com um neurologista, psiquiatra e psicólogos são extremamente necessários.

Com amor, cumplicidade e respeito a todas as limitações. Familiares e quem convive com uma pessoa autista, fazem a diferença em um tratamento e na melhoria da vida. Respeite aqueles que possuem diferenças e ame ao próximo.

terça-feira, 30 de abril de 2019

Rafael Mareco: Dando asas à criatividade


Artista visual fala sobre o sonho que começou na infância

Mayara Fernandes


Arquivo pessoal do artista
A história do desenho, começa quase que ao mesmo tempo do homem das cavernas. Naqueles locais ficaram gravados desenhos de hábitos primitivos, que eram as formas de se expressar e se comunicar antes mesmo que de se consolidar uma linguagem verbal. Ao longo dos séculos, o desenho acabou se tornando além de uma forma de comunicar, forma de arte e expressões mais profundas. Sendo assim, utilizado em diferentes vertentes, como fotografia, cinema, e até mesmo imagens cenográficas.

Rafael Mareco, artista visual, iniciou o seu interesse pelo desenho copiando desenhos animados da TV, quando criança. Com o incentivo da mãe e aulas, se encantou pelo mundo e não deixou mais de produzir suas artes. “Uma das minhas maiores motivações é dar asas a minha criatividade, produzir algo que nunca produzi, falar com as pessoas de forma diferente” conta o artista.

Com artes digitais e manuais, Rafael já participou de exposições marcantes para a sua carreira, a primeira em 2012 chamada “Bagagens” que se aprofundou na leitura dos sentimentos e memórias que levam para a vida, através de uma mala. E a segunda, foi em 2015 chamada “Conexo”, onde teve o enfoque na ideia de reutilizar descartados dando um novo sentido e criando narrativas através da junção entre reciclagem, arte e tecnologia.

Arquivo pessoal do artista
“Atualmente, venho produzindo um pouco de cada coisa, mas de fato venho me empenhando no grafitti, tentando leva-lo para o lado comercial. Em paralelo a isso venho me aprofundando em ilustração digital e animação.” Com a meta de chamar atenção e levar a arte a diversos locais, o desejo é que chegue a diversas pessoas tudo o que é produzido.

A arte em Campo Grande vem tendo um momento para que artistas regionais tenham a possibilidade de crescer e trazer sua arte para diferentes locais da cidade. Com o crescimento da área cultural, tendências e oportunidades surgem como forma de melhorar e levar o reconhecimento para os artistas.

Valorizar a cultura e o artista regional é uma forma de levantar a história da cidade e de fortalecer aqueles que estão a nossa volta. Confira o trabalho de quem está próximo de você e sempre que possível colabore, tanto divulgando, enaltecendo ou ajudando financeiramente.