quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Ser gamer, uma vida que poucos entendem

Pequeno universo onde eles preferem ser loucos, num mundo onde os normais constroem bombas

Elaine Silva

Se pode conhecer o mundo através dos games
Foto Elaine Silva
No ponto de vista de muitos é apenas uma questão de se identificar, ter várias vidas. Quem se dedica a tirar parte do tempo da sua vida para tentar entender o que esse universo representa para eles é simples: emoção, simplicidade e a felicidade que eles sentem.
Entre esse novo mundo encontramos três pessoas, Lbad, Me Sujei e DeathFox. Uma coisa que eles têm em comum: é a forma como os jogos os deixam felizes, tranquilos, comunicativos e sem timidez.

Eu jogo para passar o tempo, aprender coisas novas, me divertir com meus amigos que jogam comigo. E ainda tem gente que fala que 'ser gamer é coisa de vagabundo' eles estão errados. Posso aprender muitas coisas com os games e levar isso para o mundo real. Posso fazer amizades novas no mundo dos games e levar elas na vida real. Nos games é onde encontro a minha paz nesse mundo louco e doentio. Na minha opinião, ser gamer é um estilo de vida. Não importa se sou bom nos jogos ou se sou Noob ( apelido utilizado para pessoas que não entendem de jogos) neles, com o passar do tempo vou superar meus próprios limites dentro dos games", afirmação de DeathFox.

Mas além de ser gamer também tem a questão de ensinar às pessoas pequenos "furos" nos jogos, vários gamers pelo mundo ganham milhões fazendo aquilo que eles realmente gostam. Uma época que mexeu muito com as emoções de Lbad foi quando um Youtuber postou um vídeo relatando o que é ser gamer.

Jogos não escondem a realidade do mundo
Foto Elaine Silva
"Ser Gamer, pra mim ser gamer é viver várias vidas ao invés de uma, abraçar seus momentos sozinho ou esbanjar seu lado competitivo. É que se você encontra obstáculos é porque você está indo pelo caminho certo, que se queremos um final feliz temos que lutar muito por isso, que não são só as empresas cinematográficas que sabem fazer algo incrível, com uma história que prende quem a acompanha, que faz milhões de fãs ao redor do mundo, ser gamer para cada pessoa é diferente para alguns é um estilo de vida, para outros é um método de fugir do mundo real e ter alegria temporária lá, porque o mundo em si só os empurra pra baixo", relata Lbad.

Sempre podemos contar com os amigos
Foto: Elaine Silva 
Como muitos jovens passam horas jogando, os pais e ate mesmo a própria mídia criticam, pelas horas dedicadas aos jogos, pelos games serem violentos entre outras coisas, mas esses jovens rebatem relatando que com os jogos eles apreendem, sobre a vida, como superar seus medos, perdem a vergonha e com inúmeros ensinamentos eles trazem para a "realidade" se tornando pessoas sociáveis. “Ter gosto pelo que faz, não jogar por jogar, gostar de ficar ali jogando e se esforçar no jogo", afirma Me Sujei.

Assim, como em todos os lugares, existem seus males e eles encontram a felicidade em algo simples, mas que para muitos parece ser errado. "Games na mídia às vezes são vistos como um mal por quem não é da comunidade gamer, mas games não são responsáveis por mortes, por notas baixas na escola e não é perda de tempo, se você pensa assim você está errado, eu sou gamer, e sempre vou ser, e por esse meu estilo de vida somos taxados como loucos. Como dizia o Raul Seixas “Prefiro ser um louco aonde os normais constroem bombas”, relata Lbad.